Projeto Acolher Jovem –  contraturno escolar

acolher jovem

Objeto

Oferecer espaço de estar, de convívio e de participação para crianças e adolescentes de ambos os sexos, em horários alternados ao da escola – (contraturno escolar)

Objetivo

Oferecer um serviço de proteção social de ação continuada na perspectiva da educação integral à crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social, assegurando espaços de referência e de participação, de relações de afetividade, de respeito e de autoridade que garantam a ampliação de seu universo de trocas culturais, o acesso à tecnologia e a experimentação da participação na vida pública.

Tempo de Funcionamento

11 meses ao ano ( um mês de férias coletivas )

Horário de Funcionamento

Carga horária de 3 dias por semana (2ª, 3ª e 4ª) dividida em dois períodos diários: manhã, 9h  às 11:30, e tarde 14h às 16:30,em horário alternado ao do período escolar – sendo regular ainda, em atividades quinzenais – aos sábados 9h às 11h, para realização de grupos de convívio para os responsáveis.

Público Alvo:

Crianças e adolescentes ex-alunos do Núcleo   Educacional Professora Clélia Rocha, desde que estejam matriculados na rede pública de ensino

Crianças e adolescentes egressos ou cursando o 5.º ano do Ensino Fundamental do Núcleo   Educacional Professora Clélia Rocha (NEPCR)

Formas de Acesso

A admissão de crianças e adolescentes no Projeto Acolher Jovem é feita, desde que, manifestado interesse dos responsáveis e mediante assinatura do termo de compromisso. Atualmente depende de vagas abertas, pela limitação de transporte para levá-las aos Remanso.

Para os alunos do NEPCR, do 5º ano, faz parte das oficinas semanais.

Parâmetros Socioeducativos

As atividades que acontecem nas oficinas têm como objetivo formar um ambiente socializador que propicie o desenvolvimento da identidade do adolescente e do próprio grupo, por meio de aprendizagens diversificadas, realizadas em situações de interação e descontração sendo comum a todas as oficinas.

  1. desenvolver atividades socioeducativas e de convivência e socialização visando à atenção, defesa e garantia de direitos e proteção aos indivíduos ;
  2. desenvolver atividades instrumentais e registro para assegurar direitos, (re)construção da autonomia, autoestima, convívio e participação social;
  3. Estimular e provocar situações que desencadeiem oportunidades para expressão e respeito de sentimentos, conceitos e opiniões, possibilitando também que os adolescentes se percebam integrantes e agentes transformadores de si mesmos, do grupo, da natureza e da sociedade.
  4. Usar a arte e o lúdico como meios de expressão e comunicação. Quando eles desenham, fazem uma modelagem ou dramatizam uma situação, resignificam e mostram como se sentem,como pensam e como veem o mundo.

As Oficinas –  Tema: Adolescência e Cultura

Teatro

Diretrizes Metodológicas

Através do teatro proporcionar experiências que contribuem para o crescimento global dos adolescentes, seja no plano individual, desenvolvendo a capacidade expressiva e artística, seja no plano coletivo, exercitando o senso de cooperação, o diálogo, o respeito mútuo, a reflexão, e a construção, trabalhando a flexibilidade à aceitação de diferenças, o investimento em objetivos comuns e a criação de projetos que podem ser desenvolvidos, desde o planejamento até a realização de uma peça, por exemplo.

Objetivo final: Apresentação de um Espetáculo Teatral.

Artes Plásticas – Escultura

Diretrizes Metodológicas:

Através da oficina de escultura os adolescentes não apenas criam como também apreciam e avaliam, entendendo a importância da atividade artística e da expressão que ela possibilita. Por meio das artes plásticas desenvolve-se a capacidade de criar conceitos, desenvolver habilidades de expressão, trabalhando e entrando em contato com a imaginação e a fantasia, inclusive recriando realidades.

Objetivo final: Exposição Artística cultural.

Música

Diretrizes Metodológicas:

A oficina de música está proporcionando improvisar, ouvir, entrar em contato com instrumentos. E vem auxiliando no desenvolvimento dos adolescentes em apreciar e produzir música. A voz, o gesto e a música são formas de expressão através das quais é possível estabelecer comunicação entre os seres humanos. Por meio das canções e flautas os adolescentes estão tendo contato com a sua cultura e, ao mesmo tempo, conhecendo outras.

Objetivo final: Apresentação Artística cultural.

Contação de Histórias

Diretrizes Metodológicas:

A hora do conto, ou contação de histórias, constitui uma atividade muito rica, que propicia oportunidades de desenvolvimento do gosto pela literatura e de diferentes formas de linguagem, ou seja, linguagem oral, escrita, gestual, corporal, artística. Por meio da tradição oral os adolescentes ouvem as histórias de seus antepassados, os “casos” acontecidos na comunidade, interpretam músicas. São estimulados a contar sua própria história – suas dificuldades, seus sonhos e assim percebem-se como protagonista e, a partir da história de vida dos outros,vai tornando as vivências e histórias alcançáveis a quem ouve.

Objetivo final: Integração com a Oficina de Teatro.

Oficina Socieducativa

Diretrizes Metodológicas:

É uma oficina que estimula a capacidade de ser e estar com os outros. O acesso aos conhecimentos mais amplos da realidade social e cultural são constantemente estimulados com a intenção de contribuir para o desenvolvimento de adolescentes mais autônomos, protegidos, felizes e saudáveis. O mediador do processo, – educador social e psicólogo – estimulam e provocam situações que desencadeiem oportunidades para expressão e respeito de sentimentos, conceitos e opiniões, possibilitando também que os adolescentes se percebam integrantes e agentes transformadores de si mesmos, do grupo, da natureza e da sociedade.

Objetivo final: Estimular a capacidade de ser e estar com os outros, o acesso aos conhecimentos mais amplos da realidade social e cultural

Informática

Diretrizes Metodológicas:

Com objetivo da inclusão digital dos adolescentes através do uso da tecnologia da informação e comunicação a oficina se propõe à interação dos alunos no ambiente da informação e dos jogos educacionais. O computador e seus inúmeros recursos destacam-se como ferramenta de acesso apoiado por diferentes programas educativos. Uma ação educacional que envolve o monitor e o aluno como sujeitos no espaço de interação e comunicação de novas formas de colaboração, interatividade, conhecimento e cidadania.

Objetivo final: Interação tecnológica e sociabilidade entre os participantes.

Parceria SESC São Gonçalo

Diretrizes Metodológicas:

Atividades recreativas no ginásio do SESC e no parque aquático, educação socioambiental, cultural e saúde, onde a linguagem lúdica, é aquela que conduz à todas as abordagens. As atividades serão monitoradas, possibilitando aos participantes vivenciar as ações através da realização de um circuito.

Objetivo final: Proporcionar lazer e principalmente cultura aos adolescentes, despertando seus olhares para a socialização do território.

As apresentações teatrais, musicais e exposições são momentos de confraternização e aproximação com as famílias e a comunidade.

     Equipe do Projeto

Diretora de Assistência Social: Denise Monteiro

Técnico de Referência Assistente Social / Supervisor : Silvester Alessandro de Luna Brandão – CRESS: AS 18064 – 7ª região

Assistente Social: Daiane Joubert CRESS – AS 25388 – 7ª região

Coordenadora Pedagógica: Carolina Pimenta – Pedagoga / Mestre em Educação

Psicólogo: Eduardo Medeiros Rocha – CRP / RJ: 5/43660

Educadora Social: Jaianna Nespoli de Souza

     Oficineiros:

Rodrigo Pedrosa – Oficina de Escultura – Formação em Desenho Industrial/Design, MBA em Marketing, Artista Plástico (Escultor).

Rafael dos Prazeres – Oficina de Música – Formação em Comunicação Social

Ângela Pinnola – Oficina de Teatro – Formação em Propaganda e Marketing na Estacio, Terapeuta Shiatsu tradicional (moxa e Ventosa) drenagem linfática, massagem terapêutica e plantar no Senac.

Marcos Campello – Oficina de Teatro – Formação em cinema na UFF e teatro na UFRJ

Pedro Teixeira – Oficina de Informática – Formação em Administração

Susana Machado – Oficina de Interpretação – Formação em pedagogia, bacharel em Comunicação Social e Direito com pós graduação em Direito do Trabalho

barra-rodape-remanso2
Assistência Social
Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos
Projeto Acolher é Transformar
O Espaço de Trabalho
Fale Conosco